TRABALHO EM GRUPO

Trabalhar com uma turma heterogênea muitas vezes não é fácil. Mas de outra maneira, não seria desafiador. E nem real.

É preciso incentivar os alunos a compreenderem que a diversidade traz variedade, idéias novas, possibilita encontros e aprendizagem.

Falar sobre as diferenças pode ajudar a desmistificar preconceitos. Proponha aos alunos conversas e atividades que evidenciem as diferenças - cada um pode utilizar suas habilidades e fazer parte de um grupo que se complementa. O teatro é um bom exemplo: alguns são bons na atuação, outros querem cuidar da iluminação, outros são organizados e podem ajudar na produção.

Além das diferenças nas habilidades, é preciso também abordar as diferenças nos interesses. Alguns gostam de escrever, outros de mexer com números, outros de cozinhar. E é só por esta diversidade que conseguimos evoluir tanto!

Você pode aproveitar o portal do Instituto Faça Parte (www.facaparte.org.br) para pesquisar em mais de 11 mil projetos e escolher algumas atividades já realizadas em outras escolas espalhadas pelo país. Muitos dos projetos selecionados abordam o assunto dos direitos humanos – um bom caminho para trabalhar a questão do Bullying.

 

Além disso, aqui estão alguns sites que ajudam a desenvolver o tema na escola:

- http://www.educacional.com.br/reportagens/bullying/

- http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-escola-494973.shtml

- http://www.diganaoaobullying.com.br/

- http://www.todospelaeducacao.org.br/

- http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying

 

Para integrar a turma e entrar no assunto das diferenças, aqui estão algumas sugestões de atividades:

 

- ETIQUETAS NA TESTA

Previamente, você escreverá em etiquetas adesivas algumas características (cada etiqueta terá apenas uma. É importante fazer mais etiquetas do que o número de alunos, para não ter imprevistos). Exemplos: responda-me sempre “não” / ria do que eu falo / tenha medo de mim / duvide do que eu falo / me faça cócegas / preste muita atenção ao que eu falo / me abrace.

 

Em seguida, peça aos alunos que circulem pela sala (afaste antes as mesas e cadeiras) e conversem uns com os outros durante aproximadamente 10 minutos (para facilitar, você pode propor um tema para as conversas). O objetivo de cada um é tentar adivinhar o que está escrito em sua etiqueta (uma regra fundamental aqui é que ninguém pode dizer ao outro o que está nas etiquetas).

 

Para encerrar, todos sentados em roda, peça para que cada aluno diga o que acha que está escrito em sua etiqueta e veja se está correto. Organize uma conversa sobre o que foi sentido por cada um; como rotulamos as pessoas no dia a dia; o que é preconceito.

 

- FAÇO BEM / QUERO APRENDER

Cada aluno receberá uma folha e a cortará em dois pedaços. No primeiro, escreverá 3 coisas que faz bem (tão bem a ponto de poder ensinar alguém a  fazer). Peça para escreverem individualmente e sem pressa.

 

Podem ser coisas simples ou complicadas. Se precisar, dê alguns exemplos: tocar violão, fazer brigadeiro, dobrar roupas, andar de bicicleta, virar cambalhota, nadar, falar inglês, assobiar, desenhar etc.

 

Cada um colocará o nome no papel e o deixará de lado. Em seguida, na outra metade da folha, escreverá 3 coisas que gostaria de aprender a fazer (mais uma vez, dê exemplos se achar necessário).

 

Assim que todos terminarem, faça uma grande roda e peça para que cada um apresente seus papéis. Você pode colar as folhas na parede formando dois grupos: as coisas que a turma sabe e as coisas que os alunos querem aprender a fazer. Termine com uma boa conversa e faça as conexões: com certeza algumas ações aparecerão nas duas colunas!

 

Com isso, valorize aquilo que podemos aprender com os colegas, com os familiares; com os outros. Ajude os alunos a perceberem a riqueza da turma e a importância de cada um dentro do grupo.

- http://www.educacional.com.br/reportagens/bullying/

- http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-escola-494973.shtml

- http://www.diganaoaobullying.com.br/

- http://www.todospelaeducacao.org.br/

- http://pt.wikipedia.org/wiki/Bullying


Para integrar a turma e entrar no assunto das diferenças, aqui estão algumas sugestões de atividades:

- ETIQUETAS NA TESTA
Previamente, você escreverá em etiquetas adesivas algumas características (cada etiqueta terá apenas uma. É importante fazer mais etiquetas do que o número de alunos, para não ter imprevistos). Exemplos: responda-me sempre “não” / ria do que eu falo / tenha medo de mim / duvide do que eu falo / me faça cócegas / preste muita atenção ao que eu falo / me abrace.

Em seguida, peça aos alunos que circulem pela sala (afaste antes as mesas e cadeiras) e conversem uns com os outros durante aproximadamente 10 minutos (para facilitar, você pode propor um tema para as conversas). O objetivo de cada um é tentar adivinhar o que está escrito em sua etiqueta (uma regra fundamental aqui é que ninguém pode dizer ao outro o que está nas etiquetas).

Para encerrar, todos sentados em roda, peça para que cada aluno diga o que acha que está escrito em sua etiqueta e veja se está correto. Organize uma conversa sobre o que foi sentido por cada um; como rotulamos as pessoas no dia a dia; o que é preconceito.

- FAÇO BEM / QUERO APRENDER
Cada aluno receberá uma folha e a cortará em dois pedaços. No primeiro, escreverá 3 coisas que faz bem (tão bem a ponto de poder ensinar alguém a  fazer). Peça para escreverem individualmente e sem pressa.

Podem ser coisas simples ou complicadas. Se precisar, dê alguns exemplos: tocar violão, fazer brigadeiro, dobrar roupas, andar de bicicleta, virar cambalhota, nadar, falar inglês, assobiar, desenhar etc.

Cada um colocará o nome no papel e o deixará de lado. Em seguida, na outra metade da folha, escreverá 3 coisas que gostaria de aprender a fazer (mais uma vez, dê exemplos se achar necessário).

Assim que todos terminarem, faça uma grande roda e peça para que cada um apresente seus papéis. Você pode colar as folhas na parede formando dois grupos: as coisas que a turma sabe e as coisas que os alunos querem aprender a fazer. Termine com uma boa conversa e faça as conexões: com certeza algumas ações aparecerão nas duas colunas!

Com isso, valorize aquilo que podemos aprender com os colegas, com os familiares; com os outros. Ajude os alunos a perceberem a riqueza da turma e a importância de cada um dentro do grupo.

 

VOLTAR